Cooperação Trilateral Brasil-Alemanha

Descrição sucinta do projeto

Título: Cooperação Trilateral Brasil-Alemanha
Comissionado por: Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento (BMZ)
País: Brasil
Parceiro político: Agência Brasileira de Cooperação (ABC)
Duração: 2015 a 2019

braz1

O contexto

O Brasil tem um longo histórico de envolvimento com a cooperação técnica internacional como parceiro na cooperação Sul-Sul, assim como na Cooperação Trilateral. Dessa maneira o país se baseia em soluções originalmente desenvolvidas para superar seus próprios desafios. O Brasil alcançou sucesso em diversos campos, como redução da pobreza, desenvolvimento social, formação profissional, inovação técnica e regulamentação ambiental. Em reconhecimento a esse sucesso, a demanda pela expertise brasileira em projetos de cooperação técnica vem crescendo em diversos países.

Brasil e Alemanha são atualmente considerados líderes internacionais na prestação de Cooperação Trilateral. Combinar os pontos fortes dos dois países oferece grande potencial na geração de soluções relevantes e inovadoras para o desenvolvimento de outros países. Por esse motivo, desde 2010 ambos implementam projetos em conjunto na África e em países da América Latina.

Objectivo

A eficácia da cooperação trilateral Brasil-Alemanha foi melhorada tanto pela promoção de novas relações de cooperação, quanto por medidas inovadoras de desenvolvimento de capacidades.

braz2

Abordagem

O programa possui duas linhas de ação. A primeira visa estabelecer novas parcerias e ampliar as relações de cooperação previamente estabelecidas em projetos trilaterais, tendo em vista garantir uma maior integração das atividades dos projetos no contexto de desenvolvimento dos terceiros países. A segunda tem o objetivo de promover a divulgação de seus resultados e impactos tanto regional quanto internacionalmente. No âmbito do Programa de Cooperação Trilateral, conjuntamente com o Fundo Regional para a Cooperação Triangular na América Latina e Caribe, até o momento, três projetos foram implementados e quatro estão em andamento.

Projetos clássicos implementados: 

  • Fortalecimento institucional do Instituto Nacional de Metrologia de Moçambique;
  • Gestão de riscos e prevenção de desastres naturais em Moçambique;
  • Centro de Tecnologias Ambientais no Peru.

Projetos clássicos em andamento: 

  • Melhoria do material de plantio de caju e das tecnologias de processamento de seus subprodutos para Gana
  • Gestão do conhecimento em pesquisa, transferência de tecnologia e inovação em biodiversidade
  • Eficiência energética (setor industrial e etiquetagem) e geração distribuída na Bolívia
  • Inovação de sistemas forrageiros resistentes à seca nos vales mesotérmicos de Cochabamba na Bolívia

A segunda área de atuação do Programa consiste no desenvolvimento de formas inovadoras de cooperação trilateral, concentrando-se principalmente em medidas de capacitação. O programa de Desenvolvimento da Capacidade Humana (HCD) é realizado por organizações do setor brasileiro que fornecem o conteúdo técnico dos treinamentos com o apoio da GIZ, que se concentra na metodologia e fornece ferramentas para monitorar e avaliar os resultados e impactos dos cursos ofertados. Em resposta às demandas expressas pelos países em desenvolvimento, especialmente na África e na América Latina, a ABC e a GIZ identificam organizações do setor brasileiro com ampla experiência no setor relevante e apoia a elaboração de medidas de capacitação, que são oferecidas predominantemente no Brasil.

O HCD começou em 2017, e desde então realizou cinco cursos com onze diferentes instituições de países em desenvolvimento, sendo os temas abordados os seguintes:

  • Sistemas fotovoltaicos
  • Avaliação de impacto ambiental
  • Educação ambiental no contexto da agricultura familiar
  • Gestão de resultados em áreas protegidas
  • Gerenciamento de áreas contaminadas

Impactos

    Até agora, a cooperação trilateral Brasil-Alemanha alcançou:

  • Um total de onze aportes adicionais de recursos financeiros, pessoais ou contribuições institucionais para dois projetos dos três projetos já finalizados;
  • Quatro novos projetos foram elaborados com base no manual de cooperação trilateral, desenvolvido conjuntamente por ABC e GIZ;
  • Cinco programas internacionais de treinamento foram planejados e implementados com as seguintes organizações parceiras brasileiras: Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - SENAI, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis -IBAMA, Ministério do Meio Ambiente – MMA, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio, e Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – CETESB;
  • Os cursos treinaram um total de 72 participantes de onze instituições públicas de Angola, Argentina, República Dominicana, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Brasil.
  • Quatro das cinco instituições participantes nos cursos de 2017 do HCD implementaram seus planos de ação depois de retornarem a seus países de origem.
braz4

OUTRAS LÍNGUAS

Downloads