Bandeira Brasil
Mapa Brasil
  • BIODIVERSIDADE E CLIMA
  • INFRAESTRUTURA SUSTENTÁVEL
     

Brasil

Há mais de 50 anos Alemanha e Brasil têm trabalhado conjuntamente para o desenvolvimento sustentável. Atualmente a GIZ no Brasil emprega cerca de 140 pessoas - principalmente colaboradores nacionais.

O Brasil é a nona maior economia mundial. Ele possui 20% das espécies de animais e de plantas existentes no mundo, sendo assim o país de biodiversidade mais rica do planeta. Suas florestas tropicais são o maior armazém mundial de gases de efeito estufa, o que representa um tesouro biológico. O país está engajado na luta contra as mudanças climáticas e na proteção da biodiversidade. Em 2015 Alemanha e Brasil se declararam, conjuntamente, pela descarbonização completa da economia global ao longo do século XXI.

Precursor na América Latina no que tange a produção de energia livre de emissões de CO2, o Brasil apostou em usinas hidrelétricas de grande porte – essas, frequentemente, trazem consigo consequências sociais e ecológicas indesejadas devido à inundação de grandes áreas. A biomassa, o sol e o vento são alternativas ecológicas com grande potencial de produção energética, mas apenas uma fração desse potencial já foi esgotada.

O foco do trabalho da GIZ no Brasil são as energias renováveis e a eficiência energética, bem como a proteção e o uso sustentável da floresta tropical. Além disso, temas como desenvolvimento urbano sustentável ou oportunidades de financiamento para investimentos em prol do clima desempenham um papel cada vez mais importante.

Os principais clientes da GIZ no Brasil são o Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento (BMZ, sigla em alemão) e o Ministério Federal do Ambiente, Proteção da Natureza e Segurança Nuclear (BMU, sigla em alemão).  Outros clientes são, por exemplo, o Ministério Federal da Economia e Energia da República Federal da Alemanha (BMWi, sigla em alemão) ou a Comissão Europeia.

Na cooperação para o desenvolvimento sustentável a GIZ e seus clientes usam diversas formas de cooperação. Um foco importante da cooperação são as parcerias com o setor privado. As parcerias teuto-brasileiras, no campo da pesquisa, que interligam ciência e universidades com parceiros da política, do setor privado e da sociedade civil são utilizadas sistematicamente. Em cooperações trilaterais a GIZ implementa, juntamente com parceiros brasileiros, projetos em outros países da América Latina e da África.

Além disso, a GIZ no Brasil implementa programas globais e regionais. Presta assessoria à Secretaria Permanente da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), um importante programa regional do BMZ e do Governo dos Países Baixos, com sede no Brasil. Programas globais sobre temas como parcerias de energia ou prevenção à corrupção completam o portfólio.

Proteção e Uso Sustentável das Florestas Tropicais (Biodiversidade e Clima)

As florestas tropicais do Brasil têm grande importância para a manutenção da biodiversidade e a mitigação e adaptação às mudanças climáticas. O desenvolvimento socioeconômico do país depende da natureza: ela é fonte de água potável e alimentos, bem como fornece ar para respirar nas maiores metrópoles. As florestas são meio cultural e de subsistência de povos tradicionais e indígenas. Apesar dos progressos já obtidos, os ecossistemas do Brasil continuam ameaçados. Por isso, o governo brasileiro estabeleceu metas ousadas para combater constantemente o desmatamento ilegal, proteger a biodiversidade, incentivar a adaptação à mudança climática e promover formas sustentáveis de uso dos recursos naturais. Em nome do governo da Alemanha, a GIZ colabora com parceiros brasileiros na proteção, uso sustentável e recuperação das florestas tropicais desde os anos 90. Atualmente, o Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento (BMZ) e o Ministério Federal do Meio Ambiente, Proteção da Natureza, Construção e Segurança Nuclear (BMUB) financiam diversos projetos nos biomas Amazônia, Mata Atlântica e Cerrado. 

Proteção e Gestão Integrada da Biodiversidade Marinha e Costeira – TerraMar (BMUB) Biodiversidade e Mudanças Climáticas na Mata Atlântica (BMUB) Conservação da Biodiversidade através da Integração de Serviços Ecossistêmicos em Políticas Públicas e na Atuação Empresarial– TEEB Consolidação do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) – Life Web Fortalecimento do controle financeiro externo na área ambiental

Energias Renováveis e Eficiência Energética (Infraestrutura Sustentável)

O governo brasileiro tem feito grandes investimentos para suprir a demanda energética resultante do crescimento econômico garantindo, ao mesmo tempo, a segurança do abastecimento e uma matriz energética com baixos impactos ambientais. Tradicionalmente, a geração de energia no Brasil de baseia nas usinas hidroelétricas de grande porte – muitas vezes com consequências indesejáveis para o meio ambiente. Agora, o Brasil visa a um maior aproveitamento de fontes como a biomassa, a energia solar e eólica para a produção de energia limpa.

A Alemanha, em sua transição energética, colocou também um grande enfoque nas energias renováveis e, desta maneira, dispõe de conhecimentos especializados e tecnologia nesta área. A GIZ e os parceiros brasileiros colaboram em diversos projetos, que têm o objetivo de promover alternativas ambientalmente corretas para a geração de energia, melhorar a eficiência energética em setores chave e introduzir novas tecnologias.

Combustíveis Alternativos sem Impactos Climáticos - ProQR Iniciativas alemãs de tecnologias do clima: Promoção de tecnologias de biogás para proteção ao clima no Brasil (BMZ) Iniciativa Alemã para Tecnologias Limpas (DKTI): Energia Heliotérmica no Brasil

Programas e Iniciativas Multissetoriais

A cooperação Brasil-Alemanha para o desenvolvimento sustentável lança mão de modalidades inovadoras que levam em consideração a situação específica do Brasil. A GIZ e as instituições parceiras brasileiras executam projetos conjuntos em países terceiros e estabelecem também parcerias com os setores científico, produtivo e governamental. Ademais, projetos complementares ligados a megaeventos – como os jogos olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro – ganham crescente destaque na mídia. 

O controle e o Meio Ambiente